Crianças hiperativas

 

As crianças com perturbação de hiperatividade com défice de atenção (PHDA) são inteligentes e querem ser bem sucedidas mas têm dificuldades em prestar atenção e em permanecer na tarefa, o que muitas vezes interfere com o trabalho na sala de aula e com as amizades.

Os comportamentos de uma criança com PHDA podem ser difíceis de compreender, especialmente se só se está com a criança uma ou duas vezes por semana.

Vamos apresentar o exemplo do Tiago, cujo comportamento é muitas vezes observado nas crianças com PHDA.

O Tiago é sempre o primeiro a chegar aos treinos do desporto escolar e corre para o campo com energia ilimitada. Dá palmadinhas nas costas do professor e pergunta "Quando é que posso jogar? O meu amigo António disse que na escola dele tinha muitos jogadores como eu.... O António disse que aprenderam um jogo novo… Vou mostrar-lhe..." O Tiago corre, pontapeia o saco das bolas, deita ao chão o livro com todas as folhas que o professor tinha preparado, sai do campo para cumprimentar um colega que acabou de ver e volta a correr para o professor e pergunta novamente "Quando é que posso jogar?"

Frustrado, o professor enquanto apanha as bolas e as folhas, tenta manter a calma.

Ainda faltam 30 minutos para o jogo começar, mas o professor questiona-se se conseguirá "sobreviver" a outro dia com o Tiago. Os outros alunos vão chegando e o professor começa a falar dos pontos mais importantes a terem em atenção no jogo,  tendo já explicado todas as regras. O Tiago põe o braço no ar repetidas vezes, ao mesmo tempo que lança questões sobre o que terá que fazer e como. A irritação do professor aumenta - será que o Tiago ouviu uma única palavra que ele disse?

O jogo está a decorrer e o Tiago tem uma clara oportunidade para marcar golo, mas… vê o carrinho dos gelados a passar e perde a bola. Os colegas gritam e o professor não pode acreditar no que vê! Cheio de espanto, pergunta a si mesmo "como é que um bom miúdo consegue ter um dia tão terrível". E então, o professor percebe que o Tiago parece estar sempre em luta consigo mesmo.

As crianças têm dificuldade em estar quietas, prestar atenção, completar o trabalho e controlar o comportamento impulsivo. Em algumas crianças, estes comportamentos ocorrem com tanta frequência que limitam a capacidade da serem bem sucedidas.

É difícil fazerem amizades, parecem imaturas e as suas aptidões sociais são baixas. Estão desejosas de agradar, mas, apesar disso, parecem muitas vezes incapazes de permanecer na tarefa, distraídas e isoladas dos pares.

As pessoas que lidam com elas ficam frustradas pois parece que é necessário dizer à criança, repetidas vezes, para realizar determinada tarefa que outra criança do grupo iniciou logo à primeira ou à segunda. E, mesmo depois de ter sido compreendida a mensagem, da próxima vez, a criança pode agir como se nunca tivesse recebido a informação.

Isto é frustrante para o adulto, mas também para a criança.

Fonte: http://redes.org.pt